O QUE ESPERO DO FUTURO?

O FUTURO POS-PANDEMIA: O MUNDO NOVO

Se o futuro é desconhecido o que está por vir é ainda mais imprevisível e desafiador. Vem um mundo novo pela frente. Quem viver, verá!

Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde) o número mundial de infectados chega hoje a quase 4 milhões (3.965.863) de vítimas e os recuperados chegam perto de 1.4 milhões (1.335.435) de pessoas. O futuro não se rende e a vida segue, graças a Deus.

A Pandemia do Covid-19 alterou o eixo do tempo antecipando o futuro, acelerando mudanças e inovações embrionárias. O protagonista desta vez é um vírus invisível que sacode o mundo e ataca o globalismo reduzindo-o à ineficiência, comprometendo drasticamente a economia global e sua capacidade de superação à curto prazo. O vírus maldito segue provocando baixas irrecuperáveis ao maior patrimônio de uma nação, seu próprio povo, deixando sequelas e devastando sonhos. O vírus assassino não escolhe gênero, cor da pele nem idade.

Nos anais da História estão os registros de outras epidemias, pandemias e os flagelos deixados por elas e as vitórias da humanidade. Essa Pandemia é deslocada geograficamente, é descentralizada, não é combatida num único front e por uma única força. O Coronavírus subjuga, intimida, enfraquece, “rouba” o ar dos pulmões de suas vítimas e às atira no isolamento sombrio e por ser tão mal, afasta-as de quem as amam, causando outras mortes, consequências agudas do medo, da solidão e da depressão profundas.

O vírus é o um dos maiores desafios para a ciência moderna que já lutou contra outros vírus destrutivos, e põe à prova as mentes dos grandes cientistas e epidemiologistas do nosso século.

Enquanto vemos reduzida à extração mundial do petróleo por falta de espaço para armazenamento, a indústria automobilística com seus pátios cheios…, vemos também surgir o medo de um colapso mundial no abastecimento, pela falta dos insumos básicos, na saúde, na educação e na segurança pública. Já se prever que daqui para frente as fronteiras entre os países serão mais controladas e que nações vão se voltar mais para si mesmas e seus interesses nacionais, colocando de lado a importante colaboração entre povos.

Preocupa-me os milhares de empregos que serão extintos, a diminuição da mão-de-obra braçal e a indústria 100% mecânica que nos aguarda. O Brasil e demais países em desenvolvimento sofrerão mais e terão que fazer “dupla jornada” se quiserem voltar a respirar ares de progresso e estabilidade econômica e financeira tão fortemente desejada por seus povos e governos. Outra preocupação que tenho diz respeito a toda uma geração de crianças, adolescentes e jovens que nadam num mar de incertezas futuras, adultos (incluo-me) e idosos diante de dias nada animadores e cheios de dúvidas quanto ao tempo que resta à cumprir nesta vida.

O que eu espero do futuro pós-pandemia, sãos dias mais difíceis, repletos de disputas e menos humano. Hoje, olhando para frente é o quadro que vislumbro com toda racionalidade que o momento enseja. Mas, como a minha e a sua vida é cuidada por Alguém acima de nós, um Deus que sabe nosso destino final, a melhor coisa a fazer é entregar a vida e confiar nEle. É isto que precisamos fazer e não perder a esperança e a fé.

Caro leitor(a) é possível que ao lê este texto, neste exato momento, a cura para o vírus tenha sido encontrada como é possível que o mundo não seja mais o mesmo, que a cura tenha chegado tarde demais. Seja qual for a realidade a mudança de status já ocorreu, porque a vida é transitória e extraordinária.

A vida terrena é uma faísca da eternidade que não acaba. Ela irá continuar se movendo do outro lado da esfera terra. O que fazemos hoje, aqui e agora determinará o movimento eterno que ela terá. Escapar da realidade eterna não é opcional. Deus nos dá graciosamente em Cristo, Seu Filho e Salvador, a oportunidade divina de uma vida sem vírus e sem pecado por toda eternidade. Qual sua escolha?

Deus é nosso futuro! Amém.

Josinaldo Mariano

Um comentário sobre “O QUE ESPERO DO FUTURO?

  1. Uma coisa é certa: A humanidade ira se recuperar.

    Após uma veloz e ágil pesquisa no google acerca de quantas Endemias, Epidemias,Pandemias etc, assolaram a humanidade desde de que se foi possível diferenciar sintomas e desejos divinos, chega-se a quantidade de mais de 150. 150 vezes, desde 497 A.C, que a humanidade vem enterrando seus semelhantes por situações de pandemia, endemias ou epidemias. Nossos antepassados passaram por isso e alguns sobreviveram para contar a história desses tempos difíceis e outros conseguiram apenas cravar em “papiros” antigos o inferno daqueles dias. Os dias eram assim e agora os nossos dias são assim também.

    Mas iremos vencer. Facilmente ou complicadamente. Iremos vencer.

    Afinal de contas a cada tragédia que nos acomete, após a compostura, tendemos a ficar mais resistes, fortes e confiantes.

    Acho que seria uma boa pedida para terminar, citar o discurso de Chales Chaplin em “O grande Ditador” de 1940, ao qual diz assim em uma parte:

    “Não se desesperem!”

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.